Mulheres que rimam com livros (2) – Hipátia de Alexandria

Tradução livro HipátiaÉ impossível falar de livros e dedicação acadêmica sem se lembrar de Hipátia de Alexandria  –  seu nome parece ser inseparável de sua cidade. E a cidade, inimaginável sem sua mais ilustre habitante.

Alexandria era um centro cultural e acadêmico da Antiguidade. Ali, de 370 a 415 d.C., Hipátia nasceu, viveu e morreu. Filha de Theon, o último professor da Universidade de Alexandria, Hipátia era mestra em Astronomia, Matemática e  Filosofia. Respeitada e admirada por sua beleza e inteligência, exerceu grande influência sobre os pensadores de sua época, inclusive Orestes, o governador da cidade.

Mas a crescente intolerância religiosa e a inflamada disputa por poder político na região acabaram por encerrar de forma trágica a vida de Hipátia, arrastada e linchada por uma multidão de fanáticos religiosos. Com Hipátia, morreram também a liberdade de expressão e o pensamento científico. Hipátia foi uma mulher extraordinária, não só para sua época, mas para qualquer época. E seu assassinato brutal é considerado por muitos pensadores como o “fim do mundo clássico” e o início de um triste período de destruição de livros, pensadores e ciências.

1 Tradução livro Hipátia
Em  A Escola de Atenas  (Rafael, 1511), Hipátia está entre os grandes pensadores do mundo clássico.

 

 

Anúncios